Resenha: Lúcifer

Resenha: Lúcifer

Criação: Mike Carey

Adaptação: Tom Kapinos

Elenco: Tom Ellis, Lauren German, Kevin Alejandro, D.B Woodside, Lesley-Ann Brandt, Rachael Harris, Tricia Helfer, Aimee Garcia, Scarlett Estevez, Kevin Rankin, Tom Weilling, Christopher Marquete...

Sem sombra de dúvidas essa é uma das minhas séries favoritas atualmente – não sei o porquê, mas essa coisa toda de diabo, anjo e sobrenatural, tem um espaço especial no meu coração – a serie se baseia no rei do inferno, cansado do que ele considerou como castigo de seu pai, Lúcifer Morningstar decide tirar umas férias do inferno – umas férias sem data para acabar – e cria uma boate superbadalada aqui na terra a LUX.

Na terra seu passa tempo são festas, mulheres e tudo do que pode se esperar do senhor dos pecados. O protagonista é uma figura muito carismático – não é exatamente fã de crianças mas... – até bem engraçado, sempre tem uma resposta cômica na ponta da língua.

Apesar do primeiro episódio já começar com uma jovem sendo morta nos braços do Lúcifer (Tom Ellis), a série tem uma pegada muito bem-humorada, e o comportamento do nosso "diabo" favorito rende bastante risadas e instiga sua curiosidade em relação a como será o desenrolar dessa trama.

A série traz um "DIABO" de uma forma que nunca imaginamos, afinal, um cara divertido e dono de boate que apenas cansou da vida de tortura e castigar, não parece tão mal assim.

Sendo levada pela insistência de Lúcifer – que acabou conseguindo cargo de consultor oficial da polícia – e de seus superiores a detetive Chloe Decker (Lauren German), que tinha uma vida pessoal meio conturbada, mãe estrela de cinema (A própria Chloe estrelou um filme de procedência duvidosa) um ex-marido Dan Espinoza (Kevin Alejandro) também detetive que não é exatamente um poço de sinceridade – Inicia uma investigação sobre a morte da jovem citada acima. Utilizando de seu charme e persuasão – Lúcifer tem uma espécie de poder sobre os humanos, onde a maioria dos humanos não conseguem mentir. E quase todas as mulheres não resiste ao seu charme - consegue descobrir apenas olhando as pessoas nos olhos seus segredos mais pessoais e secretos e isso o ajuda a solucionar rapidamente vários casos, deixando a detetive pessoalmente cada vez mais irritada.

Mesmo que em momento nenhum Lúcifer esconda sua verdadeira identidade- ele faz questão de dizer quem é verdadeiramente-,  Chloe acredita se tratar apenas de mais uma excentricidade do nosso protagonista, mesmo apesar de achar ele muito estranho, tenta negar, disfarça, mas tem uma queda por ele.

Alguns outros personagens surgem na trama com um papel também fundamental para essa história louca, como seu meio irmão Amenadiel (D. B. Woodside) enviado a terra para tentar convencer o irmão a volta ao seu posto de rei no inferno, sua cumplice e guardiã de todas as horas Maze (Lesley-Ann Brandt)- ela é um demônio cruel que veio com Lúcifer para a terra – sua bar tênder supersexy e a querida Dr Linda (Rachel Harris), psicóloga que auxilia Lúcifer a enfrentar o sentimentos humanos e a encontrar o verdadeiro "eu" soberano do inferno – a doutora também não acredita que ele é o verdadeiro belzebu.

Mesmo se tratando de uma serie policial, o seu tom sobrenatural com uma dose de comedia, torna uma história bastante diferenciada das outras.

(Ahh antes que eu esqueça) A forma como Lúcifer interage com Trixie (Scarlett Estevez), Filha de Chloe com seu ex. Dan é algo de morrer de rir.

Recomendo bastante essa série, mas se você espera ver um diabo malvado, chifrudo e de mal humor é melhor esperar por outra adaptação.

Para alegria dos fãs da série, ela foi renovada para a terceira temporada inclusive o trailer já está disponível. Agora é só aguardar para nos divertirmos e acompanhar o desenrolar dessa história.

Luana Ferreira

10, Janeiro de 2018