Visa e Mastercard, de olho na tecnologia por trás do Bitcoin

Visa e Mastercard, de olho na tecnologia por trás do Bitcoin

Para facilitar os pagamentos que ultrapassa fronteiras geográficas, a Visa está utilizando essa plataforma, a plataforma que foi desenvolvida pela Chain, está sendo utilizada para assegurar os pagamentos realizados, de forma segura e transparente. Seguem trabalhando com a Visa nesse novo projeto, o Commerce Bank, o Shinhan Bank da Coréia do Sul, o Union Bank of Philippines e o United Overseas Bank, com sede em Cingapura.

O MasterCard agora também faz parte dos “Blockchains”, com três projetos de API chamados de “Blockchain Core API” “Smart Contracts API” e “Fast Pay Network API”.

De uma forma bastante curiosa o presidente e CEO da Mastercard, Ajay Banga, classificou o Bitcoin comparando a um “lixo” durante a intrevista ao jornal “Economic Times “, contudo, seus dirigentes zombam da criptomoeda, mas estão atentos a tecnologia que possibilita sua existência.

Essa interação com a tecnologia blackchain não é nova, no mês de junho de 2016 quando o presidente da empresa era Ann Carins, disse que já existiam projetos experimentais utilizando a tecnologia. Já no ano de 2017, para ser mais preciso, no mês de outubro, Rob Reeg, presidente de operações e tecnologia da Mastercard, informou que uma blockchain privada estava em desenvolvimento, ao contrário da blockchain do bitcoin que trabalha de forma pública.

Segundo as palavras de Reeg “PESSOALMENTE, NÃO ME IMPORTO COM BITCOIN, MAS ME IMPORTO MUITO COM A TECNOLOGIA BLOCKCHIAN”.

Assunto relacionado:

BANCO CENTRAL ALERTA SOBRE RISCO VIRTUAL

 

Luiz Laurindo

22, Novembro de 2017